No ano de 2006 tive uma das maiores experiências de cura em minha vida. Eu creio que cada um de nós estamos sendo curados pelo Senhor. Há lugares dentro   de nossos corações que à medida que nos rendemos ao Espírito Santo, são profundamente visitados por ELE e restaurados. Esse processo de cura não depende do Tempo mas, do quanto estamos dispostos a abrir as portas para ELE entrar e nos submeter a Sua vontade sabendo que a maçaneta fica pelo lado de dentro.

Naquele ano eu estava em uma fase de consagração e ia para o monte orar uma semana por mês junto com um grande amigo que hoje é pastor. No monte tinha uma árvore onde sentávamos ao seu pé para orarmos e depois tirar um tempo de comunhão. Naquele dia eu não estava muito bem e sentí de ficar sozinho falando com o Senhor no meu canto no monte. Abrí meu coração pra ELe dizendo que eu precisava ser renovado e pedí pra ELE falar comigo.

Não sentí nada, não escutei nada da parte do Senhor mas, foi um tempo muito legal no monte. Ao amanhecer voltamos pra casa.  Morava junto com meu irmão Luciano na parte de cima da casa da minha futura sogra (naquela época ainda era solteiro). No momento em que cheguei me bateu um sono e deitei no meu colchão que ficava no chão da sala e dormi. Sem imaginar o que Deus estava pra falar comigo.

Sonho

Tive um sonho em que eu estava na casa de um casal  de amigos (João Paulo e Keila) e eu estava sentado no sofá contando pra eles minha história. Teve um momento em que João Paulo disse pra mim _Gidel, tenho uma palavra de Deus pra você.  Então João Paulo pegou uma carta e colocou em cima da mesinha de vidro que ficava logo na minha frente no meio da sala. Ao abrir a carta estava escrita uma frase dizendo “Assim diz o Senhor”, e logo depois não dava pra entender pois as letras pareciam aquelas da Arábia saudita. Fiquei desesperado! pois, estava carente pra ouvir algo de Deus e, no momento em que pensei que Deus não iria falar comigo, a esposa de João Paulo gritou de outro lugar da casa : “João Pauloooo eu tenho uma palavra de Deus para o Gidel”. Então ela veio e colocou uma outra carta na mesa da sala.

Quando abrí a carta percebí que era uma folha branca com uma foto no meio e uma frase embaixo da foto. A foto era do meu irmão Luciano Lannes e embaixo da foto estava escrito NUNCA SE ESQUEÇA DO SEU IRMÃO LUCIANO. A Foto se mexia como aquelas fotos do filme do Harry potter. obs: Era uma visão do século 21 ne? (risos). Acordei do sonho chorando e sem entender o que Deus queria falar comigo.

Antes de continuar quero contextualizá-los.

Eu e meu irmão Luciano

Meu irmão Luciano e eu sempre fomos muito ligados um ao outro. Fazíamos tudo juntos. Aprendemos a nadar juntos. Lembro do dia em que passávamos em frente ao Rio Doce em Governador Valadares MG e olhando pra ele disse: _lulú eu sei nadar (não era verdade) e ele disse: eu também (não era verdade) Então, pulei no Rio para provar a ele que eu sabia nadar. E milagrosamente nadei rsrs. Depois ele fez o mesmo. rsrsrs Após fazermos essa loucura, confessamos um para o outro. Foi engraçado a cara que nós fizemos. hehehe

Meu Pai Gidel Lannes conta a vez em que meu irmão nasceu e estava pra morrer. Segundo meu pai o médico disse que em 15 dias ele talves não passaria. Meu pai entrou em desespero e orou ao Senhor e Deus falou pra ele pegar meu irmão no hospital e dá água com fubá pra ele. Meu pai foi até o hospital e pegou meu irmão e, após assinar um texto de responsabilidade levou-o para casa.  Meu pai conta que chegando o décimo quinto dia bateu aquele medo pois, todos os dias meu pai acordava e ia pro berço ver se o Luciano ainda respirava. No décimo sexto dia, meu pai acordou e foi direto pro berço e olhando pra barriguinha do bebê teve a alegria de vê-lo respirar. Até hoje meu irmão respira, Porque nosso Pai é fiel!!! Glória a Deus.

Eu e Luciano gostávamos de brincar o dia todo. Brincávamos de luta de espada. (com pedaços de cabo de vassoura), Brincávamos de boxe e etc…

O interessante é que ele por ser mais velho e mais forte que eu, deixava eu ganhar sempre. Se eu era o Jaspion ele era o magarem rsrs. Se eu era o supermam, ele era o lex luto, se eu era o popye, ele era o brutos. Se eu era o He-mam. ele era o esqueleto. Se eu era o Rambo ele era os vietnamitas rsrs e, assim por diante.   Sempre no final eu ganhava.. Na escola ele me protegia dos amiguinhos mais fortes do que eu.  Quando eu apanhava ele tambem tava junto.

Temos um grande respeito e amor um pelo outro. Lembro-me do meu primeiro emprego numa padaria chamada Padaria Natal. Eu ganhava meio salário mínimo e no dia em que recebí fui direto pras lojas brasileiras que ficava no centro da cidade , comprar um presente pra mim mesmo. Nossos briquedos eram feito de latas velhas que encontrávamos no lixo. Agora eu ia comprar um brinquedo de verdade, colorido e etc… rsrs Acho que eu tinha uns 10 anos de idade naquela época. Não me lembro direito. Cheguei no caixa com um helicóptero cheio daqueles “hominhos” de guerra segurando suas metralhadoras. A menina do caixa não tava acreditando que eu tinha dinheiro pra pagá-lo pois, eu era novo demais e também eu estava sozinho. Olhei pra ela segurando o dinheiro e disse_ Moça, embrulha pra mim com um papel de presente..rsrs

Ao chegar perto de casa ví meu irmão descendo correndo do morro que ficava em frente a  nossa casa no bairro Vila Mariana (casa dos meus avós, onde fomos criados). Então ele veio descalço com aquela barriga pro lado de fora rs gritando. Ninooooooo(meu apelido) ninoooooooooo, vamos soltar raia? (uma espécie de pipa feita com taquara e sacola de plástico). Eu disse que eu tinha chegado do trabalho e estava cansado. O Luciano olhou nas minhas mãos aquele embrulho enorme e colorido, perguntou? O que é isso? Na hora meu coraçao se quebrou e eu disse: Comprei pra você de presente de natal. (pausa pro choro) Enfim, contei toda essa parte pra você entender porque acordei chorando após ter o sonho com o Luciano chorando na foto.

Voltando ao quarto

Assim que acordei chorando, perguntei pro Senhor_ Pai porque eu não devo esquecer do meu irmão Luciano? O que o Senhor ta querendo me dizer com esse sonho. Então eu escutei aquela voz dentro de mim perguntando.

“Gidel, você ama seu irmão Luciano?”

“Sim Pai, claro que eu amo!”

Deus me perguntou 3 veses e três vezes eu disse que sim.

O Senhor me disse: “Então, vou te mostrar!” Naquela hora eu apaguei ( não sei se entrei em transe) só sei que eu apaguei mesmo. Deus me levou a uma situação que estava escondida dentro de mim. Era um daqueles acontecimentos em nossas vidas que escondemos dentro de nós e jamais gostariámos de lembrar.

Parecia que tinha voltado no tempo. Agora eu estava em pé na sala da casa onde moramos com minha mãe por um tempo. Minha mãe morava com uma pessoa. Nós estudamos em uma escola no final da rua onde morávamos. Essa escola se chamava Nacle Miguel habib na rua 36 na Ilha dos Araújos em Valadares MG. Eu e Luciano estudávamos na mesma sala de aula na primeira série.

Ao chegar da escola, essa pessoa que morava com minha mãe disse que iria olhar o nosso caderno e se encontrasse alguma coisa errada a gente iria apanhar. Então, alí na sala esta pessoa colocou uma cadeira pra cada um de nós em frente a mesa. Pegou e colocou um caderno na minha frente e outro na frente do Luciano. Primeiro esta pessoa abriu o caderno que estava comigo. _Hummm, Muito bom nino! O caderno estava com as letras redondinhas, com aqueles carimbos dizendo Exceltente, parabens, Muito bom  etc.. Agora esta pessoa pega o caderno do Luciano e vê logo de cara, uma “orelha” . Deu um tapa nele gritando…Seu burro e todas aquelas palavras que não quero escrever aqui ok?

Só sei que foi uma sessão de pancadas que ele levou. Teve um momento em que esta pessoa pegava o caderno que estava comigo e mostrava pro Luciano dizendo. OLha o caderno do seu irmãooooooo. E Ele olhando pro caderno e olhando pra mim com aquele olhar de choro tentando segurar a dor. Logo depois disso tudo, esta pessoa pega o caderno que estava comigo e lê na primeira folha do caderno ESSE CADERNO PERTENCE AO LUCIANO. Ou seja, o caderno que estava comigo era o caderno dele e o caderno que estava com ele, era o meu. O mais forte de tudo isso era que o LUCIANO SABIA DISSO E NÃO FALOU NADA porque segundo ele me contou, é que ele sabia que eu não tinha estrutura pra suportar aquelas pancadas.

Então Acordei gritando no quarto ouvindo Deus falando comigo

“Gidel, se você não esquecer do que seu irmão fez por você naquele dia, você jamais vai esquecer do que Jesus seu irmão mais velho fez por você. Lembre-se que aquela cruz ele tomou sobre sí no seu lugar.”

Desci a escada chorando muito naquele dia e fui direto pra cozinha da casa da minha sogra aos prantos. Carol e ela não entenderam nada. Aí contei pra elas que na mesma hora choraram comigo.

Por favor querido…não diga que você não é precioso….olhe pra cruz!!!

Por favor querido…não desista de continuar o bom combate…vai valer a pena…o maior preço ELE ja pagou por nós

Deus os abençoe.

Gidel Lannes
http://gidelecarolministerio.wordpress.com

Anúncios